quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Xau Zé Pedro!

Sou, e vou continuar a ser, um fã dos Xutos & Pontapés.
Curiosamente nunca assisti a nenhum espetáculo ao vivo deles.
Hoje chegou a notícia da morte do Zé Pedro, guitarrista da banda.
Um verdadeiro cavaleiro do rock and roll que partiu aos 61 anos.
A música portuguesa fica mais pobre.
Os Xutos também!

quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Magic Mouse

As dores no esqueleto não abrandam e já estou a ficar aborrecido.
Nas transformações que fui fazendo na minha secretária, para procurar mandar as dores para longe, chegou um rato mágico, que substitui o tapete virtual, atendendo a que agora o teclado está ao alto.
Uma novidade familiar em tempo de adaptação.

terça-feira, 28 de novembro de 2017

Queremos treinadores como Valverde

São afirmações tão raras que merecem sempre destaque.
Jogo entre Valência e Barcelona, no estádio Mestalla, atualmente os dois primeiros classificados da Liga espanhola.

À meia hora de jogo, Messi remata de fora da área, a bola entra claramente na baliza, mas Neto - keeper dos valencianos - consegue enganar o árbitro assistente e o golo não é considerado.
Este foi o facto, agora vamos perceber o que disse Ernesto Valverde, treinador dos blaugrana, no final do jogo: "Ninguém sabe o que teria acontecido se nos tivesse sido concedido esse golo. É verdade que uma equipa adiantar-se no marcador é sempre importante, mas não se pode prever o futuro. Todos estamos de acordo nestas jogadas tão claras mas não se pode rearbitrar os jogos. Temos que lidar com estas coisas, embora sejam evidentes. No nosso jogo contra o Málaga, a bola também tinha saído de campo antes de um dos nossos golos. Já é hora de implementarem o VAR".
O resultado final foi um empate a um golo.

Esqueleto computarizado

Já há algum tempo que andava com dores.
Não é uma novidade, para mim, que esta coluna está em mau estado.
Depois de muitos anos - que vão continuar por muitos mais, espero eu - em frente a um computador, a postura que usamos e a cadeira onde nos sentamos, são elementos fundamentais para vivermos melhor e com poucas queixas.
Ontem tive que ir ao Luís Abegão, um excelente  osteopata a que recorro quando estou assim, que logo me deu na cabeça.
Já elevei o monitor do meu portátil - fui recuperar uma gerigonça que andava no fundo de uma caixa - para estar em frente ao meu ângulo de visão, sendo que agora vou ver se melhoro a qualidade da minha cadeira.
Nada como prevenir!

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

O verdadeiro Sérgio

Aqui por casa já se tinha comentado.
O treinador do FC Porto estava diferente e o diferente queria dizer mais sorridente, bem educado e controlando as suas emoções.
Cedo afirmei que quando se ganha é mais fácil, mas não é para todos.
O primeiro deslize ocorreu na Taça da Liga, empate (0-0) no Dragão com o Leixões e expulsão do banco.
Perdoado o castigo chegou o encontro com o Aves.
Outro empate, protesto por causa de um penalty inexistente e foi preciso alguns dos jogadores o impedirem, no final do jogo, de ir ter uma conversa com o árbitro.
Era só uma questão de não ganhar!

domingo, 26 de novembro de 2017

Em direto

Começo a história da minha narração, mais uma vez, pelo meu esquecimento.
Não tirei fotos!
Durante o jogo nem sempre é fácil, mas, confesso, que quando existe essa oportunidade, não me lembro.
Para já vamos sem foto, esperando por uma que vai surgir em breve (upgrade, já chegou a foto, obrigado Marco).
Em zona de lamentações, tipo muro, até a pilha da geringonça resolveu ceder na sala de imprensa do Cevadeiro, pelo que das declarações do José Vala - técnico dos forasteiros - ouviu-se zero.
Bem, vamos ao jogo.
Sem golos, fica sempre a saber a pouco. Não houve muitas oportunidades, sendo que quando existiram brilharam Carlos Fernandes e Luís Paulo que foram excecionais. Se Vilafranquense e Caldas ficaram em branco, aos dois guarda-redes se deve.
Para apimentar o jogo, um golo anulado ao ribatejanos no final da partida.
Eu não sei se houve irregularidade, mas Filipe Coelho - treinador da União - garantiu-me que não foi fora de jogo.
O futebol é isto, um conjunto de erros de todos os intervenientes, onde eu me incluo.
No dia de hoje um registo interessante.
Conheci o Rogil, Pai do Rodrigo, keeper brasileiro da equipa da casa.
Veio agradecer-me o trabalho que a Rádio Voz de Alenquer faz, no acompanhamento do Vilafranquense, referindo que no Brasil muitos torcedores seguem a narração pela internet.
O momento foi registado com uma foto - cá está ela - pois do outro lado do Atlântico, a Mãe de Rodrigo não acreditava que ele conhecia o narrador :):):):):):).

sábado, 25 de novembro de 2017

O Natal está a chegar

Não tem data certa, mas a árvore de Natal chega sempre por esta altura.
Como dizem os velhos, ainda me lembro do tempo em que comprávamos um pinheiro à séria, que depois do dia de Reis ía para o lixo.
Agora elas são uma simulação das árvores onde, muitos e muitos, depositam as prendas debaixo dos ramos da mesma.
No Principado, desde o ano passado, a nossa é branca.
Não amigos, não temos nada contra o verde, foi só uma questão de escolha, simulando a neve que cai por esta altura na Lapónia, terra do Pai mais feliz do Mundo.
Não sei é se ele fica muito satisfeito quando vê sócias seus vestidos de verde e azul!

Madeira à, quase, 17 anos de distância

Este fim de semana o Ricardo está na Madeira com uns amigos.
Eu e a Princesa já lá fomos.
Fui à procura da data e descobri que faz 17 anos em janeiro, onde estivemos entre 13 e 15 do primeiro mês de 2001.
Não havia muito dinheiro disponível nessa altura - ainda hoje não há - mas o meu talento como selecionador de futebol, fez-me ganhar um concurso no jornal A Bola, que valia 100 contos em compras na Agência Abreu.
Foram três dias muito bem passados, onde nos divertimos muito e até deu para me esquecer do cartão multibanco - que recuperei - e um boné - que lá ficou - no restaurante Londres, situado na baixa do Funchal.
Ficam alguns bonecos dessa viagem e a equipa que valeu o prémio.



sexta-feira, 24 de novembro de 2017

Os duodécimos da discórdia

Eu nem estranho, porque nós somos mesmo assim!
Nunca estamos contentes com nada.
Mas acho engraçado a atitude da direita no Parlamento.
Vamos lá ver como começou esta história.
O governo PSD/CDS tentou retiram-nos os subsídios de Férias e Natal, conseguiu e que só não foi mais longe porque o Tribunal Constitucional não o permitiu.
Mais tarde voltou a pagá-los, mas em duodécimos.
Agora o governo atual vem repor a legalidade, ou seja, recebermos os dois subsídios nas datas que constam nos Acordos Coletivos de Trabalho.
Os portugueses que reclamaram contra os cortes, contra passagem aos duodécimos, são os mesmos que estão contra à reposição da normalidade.
E não é que a direita também está contra?

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Infarmed em contramão

Há decisões que são difíceis de entender, por muito que nos esforcemos.
Duas questões, antes de dar a minha opinião.
Sem Brexit, a Agência Europeia do Medicamento (EMA) tinha saído de Londres?
Tudo indica que não.
Enquanto lá esteve, porque não se pensou em levar o Infarmed para o Porto? 
Resposta difícil.
Não tenho nada contra à mudança para o norte do País, mas que cheira a compensação para não aturar o Rui Moreira, lá isso parece.
Com o presidente da Câmara Municipal do Porto a chantagem anda sempre por perto.
Foi o aeroporto Sá Carneiro, foi a candidatura à sede da EMA, foi o roer da corda ao PS nas eleições.
Defender a sua cidade, acho muito bem, mas desta forma não parece a melhor forma. 
Gostava de saber o que prometeu a António Costa, para esta prometida mudança.
Apesar de estar agendada para 1 de janeiro de 2019, acho que a ideia vai cair muito antes.
E o que virá pedir Rui Moreira de seguida?

Berta, 65 anos e a chuva

Chegaram os 65 anos da Berta!
A minha sogra chega hoje a este número redondo, em grande forma e com uma enorme energia.
Gosto muito dela, além de ser uma cozinheira do caraças!
Tudo o que sai da sua mão é sempre um excelente petisco.
Neste dia de festa chegou a chuva, que tanta falta está a fazer.
Todos compreendemos, temos cuidado na poupança do líquido, mas a pluviosidade é uma chatice.
Uma das dificuldades é a ida com os cães à rua, mas pronto, hoje lá vamos festejando o aniversário da cotinha e o regresso da queda de água do céu.

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Estamos, mesmo, na moda

Esta manhã regressei ao aeroporto Humberto Delgado, depois de lá ter chegado, já nesta segunda-feira, para receber o meu amigo Mário Duarte, que fez o favor de trazer uma encomenda para o Ricardo.
Serve esta introdução para realçar o movimento, diabólico, que tem o aeroporto da nossa capital.
Olhando para as horas de chegadas dos voos, surgem dois e três aviões para a mesma hora.
Acho que não há dúvidas que precisamos de uma solução.
Seja qual for, tem que ser com caráter de urgência. 

terça-feira, 21 de novembro de 2017

Sagres, claro!

Há dois meses fui com o Vilafranquense à ilha Graciosa, com escala na Terceira.
Os voos para as Lajes, e de lá para Lisboa, foram efetuados pela TAP.
Contrariamente ao que é habitual na transportadora nacional, não houve serviço a bordo. Para lá o lanchinho estava em cima do banco e para cá o abastecimento - pequeno - era feito no bar localizado na zona de partida.
A explicação anunciada foi falta de meios humanos.
Regressei este fim de semana às viagens na TAP e as coisas melhoraram.
As sandes eram fraquinhas, mas já havia cerveja.
E fresquinha!

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Fim de semana em Santa Apolónia

Há um ano e tal já tinha-me esquecido de um no aeroporto de Lisboa.
No sábado a Princesa deixou-me na estação de Alverca, para ir até à ilha Terceira.
Uma pequena mala com o material para a transmissão do relato, alguma roupa e uma pequena mochila com um livro, iPad, power bank e mais algumas tralhas.
Não me recordo como aconteceu, mas quando cheguei ao controlo de bagagem do aeroporto, abro a mochila para tirar o tablet e ... nada.
Não estava lá!
Pensei logo que era o segundo que levava sumiço.
Telefonei à Princesa, ela foi à estação da CP e - com uma enorme sorte - o revisor do comboio apercebeu-se que o deixei cair na plataforma, e quando alguém já se preparava para ganhar o dia, ele ficou com ele e levou-o para Santa Apolónia.
Hoje fui lá resgatá-lo.
Já lhe disse que não pode passar o fim de semana fora de casa sem me avisar!

Em direto

A narração deste fim de semana ocorreu na Praia da Vitória,
na ilha Terceira, uma partida para a 4ª eliminatória da Taça de Portugal.
Desta vez não viajei com a equipa - que partiu na sexta - e cheguei aos Açores no sábado à noite.
O domingo nasceu muito chuvoso o que tornou o relvado pesado, ele que já não aparentava muito boas condições.
O Praiense marcou cedo, mas o Vilafranquense chegou ao empate por Diogo Izata, a meio da primeira parte, com os ribatejanos, tirando os minutos inicias, a fazerem uma excelente exibição.
Na segundo parte os açorianos entraram melhor no jogo, mas não marcaram e até ao final do tempo regulamentar o jogo foi equilibrado.
Prolongamento a surgir, com uma iluminação muito deficiente e com Luquinhas a marcar um belo golo, após jogada individual. Na segunda metade do tempo suplementar, quando parecia que os da casa já não tinha força para a reviravolta, conseguiram chegar ao empate, num lance muito duvidoso - o corte de Tiago Cerveira foi ou não antes da linha fatal? - e já perto do fim concretizaram o apuramento, quando o o desempate por penaties já pairava no horizonte.
Um bom jogo de futebol, com a Vilafranquense a ficar muito marcado por aquele golo do 2-2.
No campo fiquei com muitas dúvidas, apesar da distância, já vi o resumo na RTP Açores e fiquei na mesma!

sábado, 18 de novembro de 2017

Praia da Vitória

A esta hora estou a apanhar o avião para ilha Terceira.
O Vilafranquense vai jogar na Praia da Vitória com o Praiense, jogo da 4ª eliminatória da Taça de Portugal.
Desta não viajo com a equipa, mas espero que o resultado seja idêntico à minha última deslocação aos Açores, quando tive o prazer de conviver com os artistas da bola durante três dias.
Relato na Voz de Alenquer, domingo às 16 horas continentais.

Pizzi

Não sei bem como aconteceu, mas na sequência da operação da Princesa, pensamos em adotar um cão para fazer companhia ao Pablo.
Espreitei no Adopta-me e logo dei de caras com o Noah.
Lindo!
Depois de alguns contactos, lá fui buscá-lo a casa da Mãe adotiva, faz hoje um ano.
O Ricardo escolheu o nome e ficou Pizzi.
Com um ano e pouco, continua irrequieto.
O Pablo que o diga!
Por mera coincidência, chegou ao Principado no dia do  funeral do meu Pai, onze anos depois.

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Uma saudade com 12 anos

Os anos voam!
Esta foto terá uns 55 anos, algures em Caxarias, aldeia de nascimento da minha Mãe.
Eu e o meu Pai estávamos bem dispostos e a Isilda terá sido a fotografa.
Tivemos sempre uma relação de cumplicidade.
Cedo comecei ir aos jogos de futebol com o Joaquim, para vermos o Alverca.
Os meus primeiros cigarros foram um segredo só nosso!
Não me recordo de termos visto o nosso Benfica na velha Luz, mas eras um grande benfiquista.
Hoje, se cá estivesses, estavas a sofrer com a forma como menosprezam as nossas vitórias, gente invejosa que já se esqueceu como conquistou alguma das suas.
Mas deixa Pai, a justiça vai-nos dar razão.
Um beijo grande!

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Casamento sem selfies

A tenista norte-americana Serena Williams casou-se hoje com Alexis Ohanian, depois de ter sido mãe a 1 de setembro.
Sabe-se pouco da cerimónia que vai decorrer no Centro de Arte Contemporânea em Nova Orleães, cujos custos deverão chegar a um milhão de euros.
O secretismo vai ao ponto dos cerca dos 250 convidados só esta manhã ficaram a conhecer os pormenores da festa, sendo conhecido que entre eles estão Beyoncé e Jay-z, Eva Longoria e Meghan Markle, namorada do princípe Harry de Inglaterra.
Chegados aqui, estão vocês a perguntar: O que se passa com o Tio Jorge para estar a fazer um post sobre um assunto cor-de-rosa?
Porque todos os convidados estão proibidos de fazer fotografias, pois Serena venceu o exclusivo à revista Vogue.
Será que eles aguentam?

Os potes da Rússia

Esta madrugada foi conhecido o último apurado - Peru - para o mundial russo que se realiza no próximo ano, entre 14 de junho e 15 de julho.
Pela primeira vez o sorteio da fase final - que decorre a 1 de dezembro - vai ter a divisão das seleções efetuada exclusivamente em função do ranking existente no final de outubro, pois até aqui a FIFA apenas escolhia os cabeças de série, sendo que as restantes seleções eram arrumadas por critérios geográficos.
Fruto desta alteração, vamos lá conhecer os 4 potes:

Pote 1: Rússia, Alemanha, Brasil, Portugal, Argentina, Bélgica, Polónia e França
Pote 2: Espanha, Peru, Suiça, Inglaterra, Colômbia, México, Uruguai e Croácia
Pote 3: Dinamarca, Islândia, Costa Rica, Suécia, Tunísia, Egito, Senegal e Irão
Pote 4: Sérvia, Nigéria, Austrália, Japão, Marrocos, Panamá, Coreia do Sul e Arábia Saudita

Enquanto não temos sorteio, fique a saber que não podem encontrar-se seleções do mesmo contingente de apuramento, exceção para as europeias que podem coabitar duas em cada grupo.
Especulando, podemos ter Portugal e Espanha, juntas, na primeira fase de apuramento.

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

E agora os livros ...

Uma das coisas que me dá prazer é pegar num livro e usufruir da sua riqueza.
Depois da minha passagem à pré-reforma, o meu tempo de leitura diminuiu muito, antagonicamente à minha disponibilidade.
Era no comboio que eu aproveitava para ler, pelo que ultimamente não tem sido fácil conseguir a disponibilidade para a leitura.
Em resumo, preguiça!
Vamos ao que interessa.
A partir de agora vou dedicar, pelo menos 30 minutos por dia para dar cabo dos muitos livros que por aqui andam.
Ontem, numa visita à ARIC, ofereceram-me os 20 Anos ao Serviço das Rádios Locais que estou a ler e de seguida vou-me estrear com José Luís Peixoto.
Agora não pára!

terça-feira, 14 de novembro de 2017

Inventividade?

Antes de entrar no assunto, quero esclarecer que não tenho nada contra o António Tadeia.
Há 30 anos tive uma formação, para Rádio, com o Adelino Gomes e retive uma afirmação desse mestre da comunicação.
Quando estamos a ser ouvidos, temos que nos lembrar que não conhecemos o nível cultural de quem nos ouve, ou seja, devemos utilizar uma linguagem clara e fácil para ser entendida por todos, senão corremos o risco de usar uma palavra cara e o ouvinte fica ali na comunicação, a pensar o que o ele queria dizer.
Vamos ao facto.
Portugal defrontava a Arábia Saudita e um jogador português tentou criar um lance que surpreendesse a equipa árabe.
Tadeia deixou-me ali, afirmando que o jogador usou de "inventividade".
Não seria mais fácil uma palavra acessível a todos?

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Que Regulamento é este?

Ontem, no caminho para Torres Vedras, dizia ao Pedro Castelo que ainda não tinha ido verificar os fatores de desempate para a apurar os três melhores segundos classificados do Campeonato de Portugal.
Explicando melhor, estamos a falar de uma cometição com cinco séries de 16 equipas, apurando para o play-off os primeiros classificados e os três melhores segundos, para subirem duas equipas à 2ª Liga.
Este manhã fui consultar o Regulamento da prova, no site oficial da Federação Portuguesa de Futebol (FPF).
Nem queria acreditar!
Como vêm na foto, a informação está errada.
Mais, podia ser uma questão de desatualização em relação à temporada anterior, mas não, também não foi assim em 2016/2017.
Já questionei a FPF e estou a aguardar resposta.
Não acham que a isto se pode chamar incompetência?

domingo, 12 de novembro de 2017

Em direto

Este domingo o relato foi no estádio Manuel Marques em Torres Vedras.
Dois destaques.
Uma excelente assistência, de fazer inveja a alguns jogos da Primeira Liga e a extrema correção entre todos os jogadores.
Um bom jogo entre duas equipas que se respeitaram mutuamente, mais Vilafranquense em quase todo o jogo e um golo solitário de Ragner valeram os três pontos para os ribatejanos, que assim reforçaram o segundo lugar a dois pontos do Mafra.

50 anos com um X

Os 50 anos da Xana foram comemorados de ontem para hoje, à mesa de um restaurante no Parque das Nações e com direito a alguma bailação.
Uma noite bem gira, com gente bem disposta e de bem com a vida.
Que venham mais uns tantos.
Fica também por aqui o vídeo que eu e o Ricardo fizemos para a aniversariante.

sábado, 11 de novembro de 2017

Em direto

Na estreia dos meus Shure, uns auscultadores com micro incorporado, fui fazer a narração do Alenquer - Boliqueime, o primeiro jogo de hóquei em patins da temporada na Rádio Voz de Alenquer.
Tive a companhia do José Pedro Inácio, irmão do Nuno Inácio, que se estreia esta época nos comentários, pois o nosso habitual comentador - Rui Miguel Inácio, sobrinho do Zé - faz parte da equipa técnica dos alenquerenses.
Foi um jogo entretido, com o Alenquer a dar dois golos de avanço, mas a conseguir recuperar na segunda parte, vencendo (5-3) com golos do Kiko (3), Henrique e Alex. 
Acho que foi um bom relato, apesar do retorno praticamente não existir, ao ponto de não nos ouvirmos um ao outro, também fruto do muito baralho que os Ultras fazem na bancada.
Um Alenquer que tem tudo para fazer uma época tranquila.

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Estreia antecipada

A estreia dos meus novos Shure foi antecipada.
Vai ser amanhã, no pavilhão do Alenquer, na receção ao Boliqueime.
A pretinha vai balançar a rede!

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Agora sim!

Aqui estão eles!
Estreia marcada para domingo em Torres Vedras.

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

No tartan

O título sugere atletismo, mas não é disso que se trata.
Curiosamente já corri duas vezes neste piso, no estádio Nacional, quando existiam as provas de atletismo entre escolas, onde na altura representei a minha Gago Coutinho.
Era tão versátil que participei nos 1500 metros - aquilo parecia que nunca mais acabava - e na estafeta 4x100 metros.
Mas voltemos ao tema.
O Facebook tem destas coisas e recordou-me que há dois anos fiz o relato do Povoense - Carregado.
Como não havia nenhum local para fazer a narração, fui para a pista de tartan que rodeia o campo, eu e duas cadeiras.
Pedida autorização ao árbitro, identificação efetuada, lá fiquei ao sol e numa posição ingrata para contar o que ia vendo.
Mas os ouvintes querem ouvir as histórias do jogo e elas lá chegaram ao auditório da Rádio Voz de Alenquer.

terça-feira, 7 de novembro de 2017

Mais uma voltinha ao VAR

Vamos lá voltar ao VAR.
Vou falar de dois lances idênticos que tiveram decisões diferentes por motivos ... diferentes.
Segundo o protocolo do VAR, se um golo ou um lance de que resulte uma grande penalidade, for antecedido de uma falta, o vídeo-árbitro deve intervir, anulando essa decisão e reatando o jogo no lugar onde a primeira falta existiu.
Vamos aos factos.
Aves - Benfica, Jonas empurra Nildo a meio-campo, o árbitro não vê e na sequência do lance resulta um penalty favorável aos encarnados. No final do jogo ficou a saber-se que o VAR deixou de funcionar aos 66', sendo que este lance já foi dentro desse período de silêncio do sistema.
Sporting - Sporting Braga, Doumbia faz falta sobre Ricardo Ferreira à entrada da área, o árbitro não marca e no lance seguinte há falta para grande penalidade favorável aos leões.
E o VAR?
Desta vez estava a funcionar ... mas não viu.
Não vale a pena arranjar teorias da conspiração.
Os erros nunca vão desaparecer.

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Gostam tanto do Benfica!

Esta foto foi tirada às 17:03 horas de hoje.
Inicialmente, quando vi o título em rodapé, até pensei de que modalidade estavam a falar.
Mas depois percebi.
A força que a Sporttv faz para o Benfica estar mais longe.
Reparem na subtileza: " ... já estão ... ".
Gostam mesmo do Glorioso!

domingo, 5 de novembro de 2017

Um e meio para cada um?

Esta é daquelas coisas que me irritam!
Site da RTP.
Quando vão deixar de pensar que dividir 3 pontos por 2 equipas, dá 1 para cada?
A matemática é uma coisa muito complicada!

Em direto

A narração de hoje foi no Cevadeiro.
Depois da primeira derrota no campeonato, no último domingo em Mafra, havia alguma expetativa para perceber a reação do Vilafranquense, nesta partida com o Lusitânia dos Açores, equipa de Angra do Heroísmo, ilha Terceira.
Não podia ter sido melhor.
Cedo chegou o primeiro o golo, com David a marcar de penalty, que bisou ainda na primeira parte, num daqueles livres em que bola passa por toda a gente, não bate em ninguém e engana o guarda-redes.
Reagiram os açorianos na segunda metade, mas cedo se percebeu que os três pontos iam ficar em Vila Franca de Xira.
Para o jogo terminar em goleada, nos dez minutos finais Luquinhas e Luís Pinto definiram o marcador final.
Obrigado Marco pela foto.

sábado, 4 de novembro de 2017

Última hora

Estreia adiada.
Novidades para a semana.

Viva o leitão

No caminho para a almoço, esta manhã, fui à procura da data do primeiro encontro na Churrasqueira Rocha, deste convívio do Gang da Mealhada.
Dez anos!
É verdade.
Já há uma década que lá vamos usufruir dos prazeres do porquinho pequenino, sempre excelente no restaurante sabiamente dirigido pela Dona Helena.
Hoje foi o maior grupo que se deslocou à capital do leitão, faltando apenas um para termos uma equipa de futebol.
Mais um sábado bem passado, mesmo com algumas birras dispensáveis.
Coisas de reformados!

sexta-feira, 3 de novembro de 2017

Pablo Aimar


O Padrinho faz hoje 38 anos.
Parabéns!

Regimento Disciplinar da Assembleia da República

Agora que estou mais tempo em casa, levo muitas vezes com as sessões da Assembleia da República (AR).
Hoje fui tentado a criar um regulamento disciplinar, semelhante ao que acontece no futebol, para os deputados da Nação.

Antes disso, há a necessidade de criar uma Comissão Disciplinar da AR, que devia ser formada pelos comentadores desportivos dos vários programas sobre futebol que passam nos diversos canais. Para não serem muitos, vá lá um por programa. Claro que estes "juízes" não recebiam nada. Caso não aceitassem a nomeação, eram corridos do painel do canal onde estavam.

Cá vai a minha proposta disciplinar para estes 250 "jogadores".

- Não respeitar o tempo que têm para falar (com 1' de tolerância): 15 dias de ordenado;
- Por cada caso de reincidência, 1 mês de ordenado;
- Por caso gesto ofensivo, 10 sessões parlamentares com as mãos atadas atrás das costas;

- Falar, quando um deputado está a intervir: 1ª vez, cartão amarelo; 2ª vez, 1 hora de castigo numa sala sem televisão, nem bar; 3ª vez, 1 semana de ordenado e assim sucessivamente, até 1 mês. Chegado aqui, é cartão vermelho, expulsão da AR, sem substituição na sua bancada.
- Por cada mentira emitida (não falo em promessas) provada pela Comissão Disciplinar da AR: Seis meses de exclusão, sem receber. Em caso de reincidência, cartão vermelho, expulsão da AR, sem direito a substituição na sua bancada.
- Exercer outra atividade, renumerada, fora do Parlamento: 10 anos de castigo sem puder ver o seu clube do coração.

Acho que poupávamos uma pipa de massa, além de nos vermos livres de uma cambada de incompetentes. 

Cartão do Cidadão

Nos últimos anos o Simplex tem-nos facilitado a vida.
Pouco a pouco fomos conseguindo - via internet - fazer diversos pedidos e alterações, que nos obrigava a perder tempo em deslocações a repartições públicas.
Há pouco tempo deixou de ser necessário alterar a morada da Carta de Condução, aquando da mudança de residência, sendo que a existente no Cartão do Cidadão (CC) é a que conta.
Agora também já é possível alterar essa mesma morada sem sair de casa.
Basta ir ao Portal do Cidadão, fazer a alteração, esperar a receção de uma carta com um código para poder fazer a confirmação da mesma na aplicação do CC.
Claro que é preciso algum material informático: um computador e um leitor de cartões.
Gosto disto!